14 de janeiro de 2014

Os "rolezinhos", as "coincidências" e os jumentos

Para aqueles que, por algum motivo, ainda acham que os "rolezinhos" são um "direito dos jovens da periferia", que "querem se expressar sem más intenções", que são "manifestações espontâneas em forma de protesto" (assim como as do Passe Livre em junho passado, as do MTST e etc.), que não estão "fazendo nada errado", que só fazem isso porque "não têm opções de lazer na periferia" e outras baboseiras semelhantes que vêm sendo repetidas à exaustão pela mídia e por sociólogos, eu tenho um aviso urgente: 

VOCÊ TEM LIÇÃO DE CASA PRA FAZER, E É MELHOR FAZER JÁ!

Vamos lá:


Repare BEM no nome do autor.

2) Agora, leia esse outro texto, sobre QUEM é esse cara:


3) Dê uma olhada num post antigo desse mesmo blog, que diz respeito ao mesmo cara (e mais adiante, ao mesmo assunto "coincidência"):  


Coincidência? Não. Surpresos? Eu não.

Continuando.

4) Em seguida, tomemos como exemplo essa reportagem, uma denúncia GRAVÍSSIMA de ROUBO DESCARADO realizado por um órgão estatal, e que ninguém está dando a mínima atenção só porque simultaneamente a "polêmica" dos rolezinhos do último final de semana tomou conta da mídia:


Outra coincidência? Também não. 

Adiante.

5) Procure na internet notícias sobre os milhares de escândalos do governo desses comunistas malditos do PT utilizadas nos últimos anos e procure verificar próximo a quantos destes escândalos existem "alvoroços na mídia" ou "notícias polêmicas" que ocorreram simultaneamente em datas bem próximas, como se parecessem "desvios de foco" (pode usar o texto do item 3 como a primeira referência, se quiser). 

6) Faça um gráfico comparando quantos desses escândalos  têm uma "baixaria polêmica" ocorrendo paralelamente que tenha sido originada por "estudantes" ou algum "movimento social". 

7) Reflita se a frequência desse tipo de "coincidência" parece superar qualquer probabilidade estatística de que eventos assim pudessem realmente ocorrer simultaneamente "por acaso". 

8) Foram muitas "coincidências"  entre escândalos do governo acontecendo junto com "balbúrdias" de jovens e estudantes aparentemente "espontâneas" e veementemente defendidas pela mídia? Sim ou não?  

9) Releia este texto e faça uma correlação entre os itens 1 a 8 dessa tarefa. 

Pois bem. Se você terminou essa tarefa e ainda acha que existe alguma "legitimidade" e "espontaneidade" que não deva ser reprimida nos tais "rolezinhos", ou ainda não conseguiu entender a correlação dos itens 1 a 8 dessa tarefa, parabéns! 

Você é um IDIOTA ÚTIL!!! Êêêêê!!!

Ué, não gostou? Tudo bem. Eu também odiaria ter sido feito de bobo.

Mas a melhor coisa a fazer é manter a calma e não ficar triste. 

Continue lendo o texto, pois se você quiser as coisas vão melhorar. 

Entenda que pode ser que a culpa não seja sua, e que você seja só mais uma vítima ingênua engambelada pelo marxismo cultural. 

A grande maioria das pessoas está passando por esse problema, você não é o único. Muita gente do bem cai nessa armadilha. 

Gente de boa intenção, mas que fica envolta numa nuvem negra que a impede de perceber que os que te fazem acreditar em besteiras como essa, como por exemplo a "legitimidade e autenticidade do rolezinho", são pessoas que só têm más intenções. 

Querem o teu mal e o de toda a sociedade. E querem que você acredite que eles estão fazendo isso pelo seu bem e pelo bem dos "pobres, oprimidos e minorias". 

Vivem te enganando com um discurso bonito, mas que no final das contas só serve para te confundir e te deixar cego para compreender a realidade: ELES SÓ QUEREM O MAL PARA AS PESSOAS, TODAS AS PESSOAS. A não ser para a meia dúzia de caciques que ditam as regras para todos os idiotas úteis militontos. 

Mas não se preocupe: perder essa "ingenuidade tola" para deixar de ser um idiota útil e aprender a distinguir quem está te enganando e quem não está tem cura, acredite!

Basta mudar alguns hábitos ruins que você provavelmente adota no seu dia-a-dia e nem se dá conta de que são eles que estão te levando para o buraco. 

Eis algumas pequenas mudanças que você pode fazer para se livrar definitivamente desse karma:

Ao invés de assistir Jornal Nacional, assista ao Jornal do SBT.

Ao invés de ler Carta Capital ou a Folha, leia a Veja. 

Ao invés de dar atenção para as imbecilidades do Sakamoto, Paulo Henrique Amorim, Luis Nassif e Cynara Menezes, fique atento aos blogs de Reinaldo Azevedo, Rodrigo Constantino, Felipe Moura Brasil e Aluizio Amorim, que são jornalistas que se comprometem com a verdade e não com patrocínios milionários de empresas estatais ou do Governo Federal em seus blogs. 

Ao invés de prestar atenção nos "intelectuais" Marilena Chauí e Paulo Guiraldelli achando que o que eles dizem é importante só porque são professores universitários, preste atenção nos intelectuais (sem aspas) Luiz Felipe Pondé e Marco Antônio Villa, que também são professores universitários e, ao invés dos dois primeiros, se comprometem com a disseminação da educação, da liberdade intelectual e do conhecimento verdadeiros, e não da doutrinação política dos alunos. 

Ao invés de ler o best seller do Edir Macedo – Nada a perder, leia o best seller do filósofo e professor Olavo de Carvalho - O Mínimo que você precisa saber para não ser um idiota (nada a perder e tudo a ganhar!)

Ao invés de seguir só ex-BBBs, famosinhos da moda e galãs globais no Twitter e Facebook, que só falam bobagem e não compartilham nada de útil além do trabalho, digamos, "artístico" que fazem (aliás, se o ex-BBB for o Jean Wyllys, o artista Caetano Veloso ou o galã global for o Marcos Palmeira o seu cérebro apodrecerá em velocidade recorde), prefira seguir artistas que além de compartilharem seu trabalho artístico e coisas divertidas do dia-a-dia também falam sobre coisas muito importantes e úteis, como o Danilo Gentili, o Lobão, o Roger do Ultraje, o Guarabyra, ou seja, gente que não é só mais "um famoso aí que eu vou seguir", mas que são pessoas MUITO interessantes. 

Ao invés de se contentar com o que eu sugeri, seja curioso e busque novas fontes de informação sobre as coisas novas que você irá aprender. 

Raciocine e reflita a respeito do conhecimento adquirido. 

Questione-se.

Repense os conceitos automaticamente definidos pela sociedade moderna e compare se correspondem com os seus verdadeiros valores.

Resgate os verdadeiros bons valores dentro de você. 

E tenha sempre muito cuidado para não ser enganado novamente por gente mentirosa e maldosa. 

E é só isso. 


A receita para se livrar do mal que domina o Brasil é bem simples. 

E essas pequenas mudanças nos hábitos diários podem fazer uma GRANDE diferença na sua vida.

Aí certamente você vai sarar dessa ALIENAÇÃO INVOLUNTÁRIA rapidinho!  :)

OBSERVAÇÃO IMPORTANTE

Se você é daqueles que vai preferir ignorar esse texto, a lição de casa, esse conjunto bem intencionado de informações e dicas achando que tudo isso é "coisa de burguês fascista", "racista", "homofóbico" e "preconceituoso", e usar os comentários desse texto para me xingar por ter dito verdades que você não gosta de ouvir, pois prefere manter a sua idiotice de forma VOLUNTÁRIA, eu só tenho a lamentar o fato de você conseguir andar sobre duas "patas" ao invés de quatro como deveria, e por esse motivo ser reconhecido com uma pessoa racional, um “ser humano assim como outro qualquer”. 

Pois, sinceramente, O PIOR CASTIGO que pode existir aos seres humanos realmente humanos, honestos, dignos, sensatos, educados e que sabem usar a inteligência e o raciocínio é serem obrigados a conviver com jumentos que andam em duas patas disfarçados de gente como você, como Sakamoto, como Paulo Henrique Amorim, Marilena Chauí, além, é claro, dessa manada que anda fazendo “rolezinho” e de toda a gang da "esquerda caviar" que apoia esse tipo de comportamento, pois jumentice é apenas uma questão de ESCOLHA, e nada além disso. 

Quer uma prova? 

Eu só sei que você é um jumento porque você prefere ignorar por livre e espontânea vontade informações úteis e importantes sobre a realidade das coisas apenas para não abrir mão de suas convicções tolas sem fundamento.

Prefere deixar a inteligência, o bom comportamento e a humildade de lado em prol da arrogância e da vaidade só para fazer média com a galera, ouvindo e concordando com o que a maioria estúpida das pessoas diz e faz baseada em ilusões fajutas e mal intencionadas.

Prefere repetir como um bocó os chavões que todos os idiotas repetem quando contrariados, e não pára de repetir frases feitas e todo e qualquer tipo de pensamento "politicamente correto" sem ao menos questioná-los por conta própria para ver se realmente fazem algum sentido. 

Prefere criticar e xingar pessoas que estudaram muito e sabem mais do que você (ou eu), ao invés de procurar compreender o que esses poucos mas verdadeiros intelectuais "rejeitados" por essa maioria ignorante que você bajula têm a lhe dizer com a melhor das intenções, para ajudá-lo a enxergar a vida como ela é, sem fantasias, para que assim você, apesar de jumento, possa ter uma chance de compreender a vida e poder ter opiniões e atitudes realmente livres e capazes de promover o próprio crescimento pessoal, bem como uma vida melhor para si mesmo e para todas as outras pessoas. 

ISSO É SER UM JUMENTO. E NINGUÉM ALÉM DE VOCÊ PODE ESCOLHER SE DESEJA SER UM OU NÃO. 

Agora, se você é um jumento branco, preto, japonês, índio, gay, hétero, lésbica, bissexual, nordestino, paulistano, carioca, gaúcho, pobre, rico ou classe média eu já não sei, pois existem jumentos de todos os tipos, TODOS.

Essa informação só Deus sabe. Deus e você próprio, seu jumento. 

Sai dessa vida!

6 comentários:

Anônimo disse...

Adorei!

Anônimo disse...

Excelente texto!

David Athayde disse...

Anti comunista e gata, casa comigo! hahaha

David Athayde disse...

Anti comunista e gata!!!! OMG, casa comigo!!! hahahha brincadeira, parabéns pelo texto.

ACE CHOPPERS disse...

Ótimo texto! Esclarecedor e simples, parabéns Milene Reis!

Adriana Izel disse...

Bom dia, Milene, tudo bem? Sou repórter do Correio Braziliense e estou tentando entrar em contato com você sobre suas colaborações no HitRecord. Você poderia entrar em contato comigo pelo e-mail (driana90@gmail.com ou adrianaizel.df@dabr.com.br)? Gostaria de conversar com você sobre o HitRecord, suas colaborações e o que você acha do projeto. Aguardo resposta!