3 de junho de 2009

Ao poeta, com carinho

Nao dormi, pensando em um milhao de coisas inspiradas pela sua linda poesia.

Nao sonhei, imaginei tudo acordada.

Um momento muito bom numa praia, com uns moleques jogando bola ao fundo e uma conversa muito agradavel entre duas pessoas, sobre todos os assuntos do mundo, por horas, sem o incomodo de qualquer julgamento, e uma enorme similaridade de pensamentos e ideias. Parecem se conhecer ha anos...

Uma vontade de comer pato com molho de cerveja e tomar um vinho sob a luz do luar. Mas, no final das contas, o bolo de cenoura com cobertura de chocolate quente nao combinou muito com o requinte do menu. Acho que a sobremesa tem que ser outra...

O Mestre Yoda, com uma gravata nova e algumas flores murchas espera ansioso por um jantar todo especial.

Especial como o poeta que me fez imaginar.

Beijos da Amelie Poulain (a sonhadora)

5 comentários:

Daniel Oliveira disse...

CARAK'S adorei(ela que nem precisou sonhar),muito legal o texto.Vc tem talento,vou te visitar sempre viu?

Bjuuuuuuuusss's!

Anônimo disse...

Foi o dia em que a Amelie Poulain encontrou o Big Fish.
Foi o dia, também, em que disparou os precos das gravatas, porque um maluco comecou a comprar milhares delas, tentando encontrar a Gravata Ideal, mesmo sabendo que nenhum pedaco de pano mundano, por mais fino que seja, seria capaz de cumprir tal expectativa.
A propósito, talvez a sobremesa ideal seja essa mesma...

Milene Reis disse...

Anonimo:
Seria a Amelie o par perfeito do Big Fish? :)
A proposito, a gravata ideal nem e assim tao importante. O importante e a pessoa ideal se preocupando com o minimo detalhe, mesmo que esse detalhe nao seja relevante, assim como uma simples gravata (que no caso, qualquer uma cairia muito bem, com absoluta certeza!)
Quanto a sobremesa, talvez um simples bolo de cenoura realmente seja a sobremesa ideal. Afinal de contas, pelo menos na minha opiniao, e o desejo que da o sabor incomparavel para qualquer coisa que se esteja com vontade...
Bjo

Clovis Reis disse...

Não entendi...
Vc podia postar a poesia pra gente poder saber do q vc tá falando...
bjs

Milene Reis disse...

Nem adianta publicar a poesia. Esse e o tipo de poesia que nao da pra compartilhar num blog, pois e tao particular que so faz sentido para mim e para o poeta. E isso o que a torna a mais especial de todas. Assim como esse post em forma de dedicatoria: ele e o unico que vai entender e saber que foi criado com carinho so pra ele...