2 de agosto de 2008

O feminismo

Acabei de falar mal do machismo. Mas pra que ninguém fique pensando que eu sou uma feminista revoltada, hoje vou falar sobre o feminismo.

Sempre pensei a respeito desse movimento: o que ele teria feito pelo bem das mulheres?

Pois cheguei à conclusão de que o movimento feminista, do modo como foi proposto, acabou prejudicando mais do que ajudando a mulher moderna. Vou explicar o meu ponto de vista.

Antigamente a mulher tinha que ser submissa ao homem, não podia trabalhar fora e tinha a única função de cuidar do marido, da casa e dos filhos, a criação dela era direcionada para satisfazer as necessidades do homem, não podia ter vontade própria, não podia estudar, e por aí vai.

Certas coisas nesse sentido realmente são inadmissíveis: porque a mulher seria um ser inferior ao homem, por ter menos força física? No tempo das cavernas isso até poderia valer como uma verdade, pois o mais fraco fisicamente era realmente menos privilegiado na vida selvagem. Mas com a evolução do homem, esse parâmetro perdeu totalmente a validade.

Não estamos mais na idade da pedra onde a sobrevivência depende da luta corporal e apenas o mais forte sobrevive porque consegue matar o inimigo junto com o bisão e assim garantir a comida. Não precisamos mais "brigar fisicamente" para conseguirmos o nosso sustento e garantirmos nossa sobrevivência. E além disso, com os equipamentos existentes na época atual, se o fracote tem uma arma de fogo o fortão perde pra ele, não é mesmo?

A verdade é que, na minha opinião, o feminismo pecou pelo exagero e acabou errando.
Reivindicar os direitos e o respeito à mulher foi o ponto positivo mais do que justo e necessário, e isso já devia ter sido percebido pelo ser humano moderno há muito mais tempo, aliás.
Mas sinceramente acredito que, independentemente do feminismo, isso acabaria acontecendo naturalmente.
O que eu acho é que o movimento feminista falhou num ponto crucial: se rebelar porque queria que a mulher fosse IGUAL ao homem. Aí estragou tudo!

Porque isso é fato: homens e mulheres são diferentes, aceitem ou não os machistas, as feministas, ou qualquer pessoa. Pensam diferente, agem diferente, enxergam diferente, têm habilidades diferentes, isso tá mais do que comprovado. E isso se deve às diferentes funções exercidas por cada sexo na evolução da espécie, o que acabou desenvolvendo habilidades diferentes em cada um.

Em geral, o homem tem um senso de direção e noção espacial melhor que a mulher SIM, a mulher consegue prestar atenção em várias coisas ao mesmo tempo SIM, o homem tem mais objetividade racional que a mulher pra resolver problemas SIM, a mulher é mais emocional e amorosa que o homem SIM, e por aí vai... O que absolutamente não quer dizer que um é superior e o outro inferior, um é mais inteligente e o outro mais burro, um é melhor e o outro pior, nada disso! São apenas DIFERENTES!

Aí, com essa tentativa de igualar os sexos, o que acabou acontecendo foi o seguinte: a mulher moderna passou a exercer o papel feminino e masculino ao mesmo tempo e o homem ficou totalmente perdido sem saber qual seria o seu papel nessa mudança e deu uma acomodada em suas funções masculinas por conta disso.

Resultado: super mulheres que fazem "tudo ao mesmo tempo agora", ultra estressadas, pouco femininas, agressivas, que partem pro ataque e estão sempre se frustrando. E por outro lado homens inseguros, sem saber direito como agir, acuados, esperando o assédio feminino, e que continuam subvalorizando a mulher (exatamente o que o feminismo abominava, como afirmei no post sobre o machismo: pouca coisa mudou nesse sentido nos dias de hoje). Tudo errado.

Pra coisa dar certo, na minha humilde opinião, deveria funcionar assim: profissionalmente, que a mulher pudesse optar por ser a dona de casa ou a mega empresária e independentemente disso ela fosse respeitada, valorizada e vista como um ser tão capaz e inteligente quanto o homem que cuida dos filhos em casa ou dirige uma multinacional, e vice-versa.

Além disso, que houvesse o equilíbrio passado-presente na relação homem-mulher: que o homem continuasse com a função do "macho" na arte da conquista (sem o puritanismo do passado, nem a libertinagem do presente), que as mulheres continuassem femininas (sem a submissão do passado, nem a vulgaridade do presente), e que ambos se respeitassem e entendessem suas diferenças.

Esse meu ideal é utópico, eu sei, e infelizmente muitas vezes temos que nos adaptar à realidade dos dias de hoje mesmo contra nossa vontade para conseguirmos alguma coisa sem sermos devoradas pela "concorrência" atacando sem dó nem piedade.

Mas honestamente, no sentido romântico da coisa, estou certa de que nesse ponto eu me adaptaria muitíssimo melhor ao jeito que as coisas eram lá pelos anos 50.

Porque é uma coisa muito mais natural da minha personalidade conceder a honra da dança ao pretendente com o qual estou flertando do que ligar para o cara que estou a fim e chamá-lo para ir na balada comigo...



Música do dia: Mulher (Erasmo Carlos). Se todos pensassem assim, esse movimento feminista todo errado talvez não tivesse existido.

8 comentários:

Augusto Araújo disse...

Ahh, qui chato Milene

concordei com tudo q vc falou e tô sem nada de relevante pra comentar

parabéns pela lucidez!

Milene Reis disse...

Nooooossa, nem acredito!!!
Não veio nenhuma crítica pra eu rebater dessa vez, Augusto?
Fiquei até lisonjeada... rsrs
Abs

Ricardo disse...

Oi, Milene! Existe algum email com o qual possamos nos corresponder com vc?

Milene Reis disse...

Olá Ricardo
Não divulgo meu e-mail pessoal, porém estou sempre à disposição por aqui conversando com a galera do blog.
Obrigada pela participação!
Abs

Sayuri disse...

Mileneee
tbm to sem palavras (desculpa a demora a vir!)

Ah desculpa, to sem palavras mesmo!

p.s.: E vi o Jairo Reis no programa Silvio Santoos!

Edu Berigo..... disse...

Oi....

Legal... acho q o mundo q vivemos descreve exatamente o q vc mencionou.... Show de bola!

Acho legal q hajam diferenças básicas entre o homem e a mulher, pois isso em um casal da uma sensação de estar completo. A mulher com a sua sensibilidade, e o homem , q tbm tem sensibilidade, tbm ama, tbm pensa as mesmas coisas q uma mulher pensa, mas com pesos diferentes, com sensações muitas vezes diferentes... enfim...
cada caso um caso!!

e a kawabanga??? nunca mais deu canja???

bjos!

Milene Reis disse...

Obrigada pela participação, Edu!
Pois é, na Kawabanga nunca mais rolou, mas ando fazendo umas brincadeiras com outras bandas de amigos. Afinal, não consigo ficar sem cantar... rsrs
Bjo

Milene Reis disse...

Sayuri
Espero que tenha ficado sem palavras no bom sentido! rsrs
E o Sr. Jairo Reis só aprontando, ele se diverte! rsrs
Bjo