29 de maio de 2008

Cabelo, cabeleira, cabeleireiros...

Hoje estou chateada. Chateada não, irada. Irada apenas não, mas também indignada! Tudo porque fui ao salão de beleza cortar os cabelos e o resultado ficou longe do esperado (parece que fui ao salão da feiúra!). Algumas idéias para usarem a imaginação e visualizarem como ficou:

1) Maga Patalógica
2) Anjelica Huston em Convenção das Bruxas (notem que já é a segunda bruxa da lista)
3) Protótipo de paquita trintona morena
4) Mulher careca usando peruca de franja
5) Todas as alternativas anteriores juntas!

Tá, cabelo cresce, daqui a pouco tudo se ajeita... Mas minha indignação se dá pelo fato de que só ocorreu esse desastre porque a cabeleireira resolveu, por conta própria, fazer do lado de fora da minha cabeça o que ela deve ter do lado de dentro da cabeça, ou seja, merda!

Cabeleireiros costumam dar sugestões, falam que algumas coisas não combinam com certas clientes, acertam quase sempre (Querida, seu cabelo bombril não vai funcionar com a cor e o corte da Victoria Beckham, a não ser que você queira parecer um cotonete gigante!), e até fazem desastres às vezes por tentarem um novo visual, mas isso só acontece quando lhes pedem sugestões ou permitem que eles usem a criatividade.  

Mas o fato é que eu já sabia exatamente o que eu queria, já havia testado o visual pretendido com sucesso, e ela fez exatamente a única coisa que eu pedi para não fazer e que nunca poderia ter sido feita: simplesmente tirou 10 cm do comprimento além do que eu havia pedido e fez um repicado ultra esquisito.

Pior do que isso, quando comentei que não havia gostado, tentou me convencer com certos argumentos prontos (não deve ser a primeira vez que ela faz isso, ela tinha um repertório inteiro de frases feitas para tentar me convencer de que estava bom):
- Seu cabelo estava judiado
- Tá melhor pra você
- Imagina, tá perfeito!
- Tá quebrando muito
- Combina mais com você

Sei que estou parecendo aqueles clientes insuportáveis que reclamam de tudo, nunca estão satisfeitos com o serviço prestado e etc., mas a verdade é que sou uma pessoa justa e achei muito injusto o que foi feito: paguei por um serviço, especifiquei bem o que eu queria que fosse feito (em um grau de exigência mínimo) e o profissional simplesmente ignorou tudo o que eu falei. E como sempre filosofo em relação às coisas simples do dia-a-dia, vou mostrar situações que pensei no meu momento filosófico de hoje.

Por exemplo, vamos imaginar que outros tipos de profissionais resolvam adotar a mesma postura de alguns cabeleireiros e decidam ao seu bel-prazer como irão realizar o serviço (e vou usar mais ou menos as mesmas frases que ela usou para tentar me convencer. Não necessariamente com o mesmo sentido, mas tá valendo):

Cirurgião Plástico: Você resolve colocar duas próteses de silicone para ficar ao estilo Pamela Anderson e vai a um cirurgião plástico. No meio da cirurgia ele resolve por livre e espontânea vontade fazer um procedimento diferente do planejado. Quando você sai da cirurgia nota que tem duas bolas de basquete inseridas na sua barriga. Ao indagar o que poderia ser aquilo, ele simplesmente te responde: - Mudei os planos porque sua barriga estava judiada...
Muito drástico, né? Vamos pegar uma outra profissão em que a mudança de planos não acarrete nenhuma anomalia física...

Garçom: Você vai a um restaurante maravilhoso e seleciona do menu uma terrine au camembert com filé de salmão defumado ao molho de ervas finas e alcaparras. Quando o garçom traz o seu delicioso quitute eis que você se depara com um prato cheio de dobradinha com jiló e um bife mal passado de fígado de porco. No momento em que você questiona o garçom a respeito do seu pedido, este responde: - Esse é melhor pra você! (ou ele quis dizer que você está anêmico ou que tem cara de pobre)

Vendedor de sapatos: Essa é bem simples. Você calça 37. Pede um sapato número 37. O vendedor te traz um sapato 42. Você experimenta esse calçado no qual caberia a sua perna inteira e só teria utilidade caso você quisesse usá-lo como esqui e o vendedor manda essa:
- Imagina, tá perfeito!

Taxista: Imagine-se em Ferraz de Vasconcelos. Você precisa ir de lá para a Avenida Paulista e pega um táxi. Chegando em Guaianases, o taxista pára o carro e te manda descer. Você sem entender nada quer saber o que acontece. O taxista diz: - Fica aqui mesmo, porque o táxi tá quebrando muito...

Advogado (essa é a pior): Você está sendo acusado de um crime e contrata um advogado para te defender. No Tribunal o cara resolve dizer o que quer, aleatoriamente, sem levar em consideração o que você espera dele. Dois meses depois, você recebe no presídio a visita do tal advogado. Porquê, porquê? E ele te responde: - A cadeia combina mais com você! (e não interessa se você é inocente ou culpado, você tem cara de bandido!)

Esses foram alguns exemplos de como um profissional pode sacanear uma pessoa por resolver fazer o que lhe der na telha ao invés de atender às necessidades do cliente...
No meu caso, a sacanagem já foi feita. Vou voltar ao salão (com outro cabeleireiro menos palpiteiro, é óbvio) e tentar dar um jeito no estrago para ver se pelo menos meu cabelo muda do aspecto de peruca para algo mais moderno (Deus permita que não fique parecendo um implante!). Desejem-me sorte!!!

A propósito, deixo um recadinho final aos cabeleireiros que porventura leiam isso: Não façam o que não lhes for pedido ou autorizado se quiserem ter sucesso na carreira. Tenho certeza de que o Wanderley Nunes não tem esse péssimo hábito! Caso contrário a Gisele Bündchen poderia estar desfilando por aí com o cabelo do Cauby Peixoto...

Música do dia: Cabelo (Arnaldo Antunes)

3 comentários:

Celso disse...

Essa só os mais chegados irão entender...


"ah, mimimi, nunseique... telesena..."

E a saga do cabelo continua...

Milene Reis disse...

Hahahaha
Ah, mas a quem possa interessar, o conserto do cabelo deu certo! Não ficou parecendo implante... rsrsrs

Lariiii disse...

Ai ai... Essa minha tia é uma piaaaada... hehehe.. Mi, concordo com vc, tem gente que tem diploma em estragar os cabelos dos outros... hihiheiuheie
ai Miii deixa eu falar sobre o seu blog, apesar de ser o terceiro post. Meu, vc é uma escritora de natureza, seu blog terá muito sucesso, pq vc é o tipo de pessoa que tem o maior talento pra expor suas idéias... hehehe...
Todo mundo fala que eu sou seu clone... quem dera ser tão criativa quanto você... mas um dia eu chego lá, né?? Eu só tenho 14 anos... dsuhdauadsh
Miii. adoooorei seu blog, vou sempre visitar e comentar aqui.. legal, manoooo!!
Aproveite suas férias!
Beijos
(L)